Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.uniube.br:8080/jspui/handle/123456789/1790
Título: INFLUÊNCIA DA OBESIDADE NA REPARAÇÃO ÓSSEA EM RATOS (Rattus novergicus)
Autor(es): PICELLI, JULIA PERINOTTO
rosado, isabel rodrigues
Palavras-chave: obeso
lesão óssea
dieta hipercalórica
tecido adiposo
massa corporal
reparação óssea primária
Data do documento: 27-ago-2021
Resumo: A obesidade é considerada uma epidemia em humanos e em animais de companhia. É definida como um transtorno patológico caracterizado pelo acúmulo excessivo de gordura a níveis superiores ao necessário para o funcionamento orgânico. Esta desordem pode causar problemas ortopédicos e alterar a reparação óssea. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar a influência da obesidade na reparação óssea utilizando um modelo animal (Rattus novergicus) submetido a dieta experimental para indução da obesidade e a lesão óssea induzida. Os animais foram divididos em dois grupos, obeso (n=30) e não obeso (n=30), sendo que o primeiro recebeu dieta hipercalórica rica em carboidratos simples e o segundo, dieta comercial balanceada para roedores durante 60 dias. Cada grupo foi submetido à ostectomia monocortical proximal de tíbia, com exceção dos animais controle (sem lesão óssea), e dividido em grupos de acordo com os tempos de avalição: dia três (n=6), sete (n=6), 19 (n=6) e 28 (n=6) após a lesão óssea, e em grupos controle (n=6). Os animais foram eutanasiados nos tempos supracitados. Os grupos controles foram eutanasiados aproximadamente no sétimo dia. A obesidade foi avaliada por meio dos dados de massa corporal, IMC, circunferência abdominal, massa das gorduras viscerais e índice de adiposidade; e a reparação óssea foi avaliada por meio dos dados de composição óssea (massa óssea, massa óssea orgânica e massa óssea mineral), do teste de flexão em três pontos, histomorfometria e por meio da análise histológica do foco da lesão. Os resultados obtidos neste estudo mostraram aumento significativo dos parâmetros indicativos de obesidade nos animais submetidos à dieta experimental, massa óssea mineral maior nos animais obesos, assim como melhores resultados nos parâmetros mecânicos avaliados neste grupo, se recuperando mais precocemente do que o grupo não obeso. A histologia revelou reparação óssea do tipo primária com formação de trabéculas ósseas mais espessas no grupo obeso ao sétimo dia. Conclui-se que os efeitos mecânicos ocasionados pela sobrecarga de peso sobre os ossos na obesidade parecem não interferir – e por vezes até ter efeitos positivos – na reparação óssea do tipo primária.
URI: http://dspace.uniube.br:8080/jspui/handle/123456789/1790
Aparece nas coleções:2021

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO FINAL - JULIA PERINOTTO PICELLI.PDF2,25 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.